Ansiedade: o mal do século XXI

Em tempos de tanta informação e conectividade, como detectar se a ansiedade está atrapalhando nossa vida?

Internet. Notebooks. Smartphones. Tablets. Entramos no século XXI com essas novidades que fizeram estarmos conectados à informação e ao mundo 24 horas por dia, seja qual for o local. Assim como as mídias tradicionais – TV, rádio, jornais e revistas – mudaram o jeito de viver da população em geral, as novas tecnologias vieram de forma rápida mudar a vida de todos. Mas isso traz consequências.

Uma delas é: com tanta informação e essa necessidade de sabermos tudo sobre todos, como mantermos nossa mente saudável para vivermos a “vida real”?  Um dos sintomas que mais acometem as pessoas nos dias atuais, especialmente os jovens, são transtornos oriundos da ansiedade, que são amplificadas pelo estilo de vida atual que levamos.

Segundo a psicóloga Karini Callegari, da cidade de Lins-SP, os casos que ela mais atende atualmente são relacionados a ansiedade generalizada, o que levanta um alerta.

“A patologia que mais merece atenção é a ansiedade, pois ela é gatilho para as outras. Quanto mais você posterga o cuidado para a ansiedade patológica mais chance tem para desenvolver transtorno do pânico, fobia social, TOC, etc.”, afirma.

Muitas pessoas ainda se negam a procurar a ajuda de um psicólogo, seja por desinformação ou por preconceito, pois procurar ajuda seria um significado de estar doente e de fraqueza. “A maioria não entende que ninguém é igual a ninguém, todos temos conflitos, e a terapia é um ambiente para olharmos para nós mesmos. Esse tempo é necessário não porque estamos inadequados para a sociedade, mas sim para continência da nossa existência”, diz Karini.

Até por isso, ela criou uma conta no Instagram para falar diretamente ao público sobre várias patologias e explicar o que cada uma significa, seus efeitos e como detectar se a pessoa ou alguém próximo sofre com tal transtorno. Karini também tira dúvidas de seus seguidores.

“Com a demanda no consultório percebi que a população conhecia muito pouco sobre as patologias e a forma que encontrei de dar acessibilidade foi o Instagram, assim diminuiria o preconceito com os transtornos emocionais. O mais pedido é sobre a ansiedade; ele é disparado em relação aos outros, mas também pedem assuntos como autoestima, relacionamentos abusivos, amor próprio, compulsão”.

Karini Callegari e Karla Fernanda da Silva criaram o Café com Psicologia, proposta que visa auxiliar pessoas a compreenderem mais as doenças psíquicas.

Ansiedade

O transtorno de ansiedade generalizada (TAG) é um distúrbio caracterizado pela preocupação excessiva ou expectativa apreensiva, persistente e de difícil controle, que perdura por seis meses no mínimo e vem acompanhado por três ou mais dos seguintes sintomas: inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular e perturbação do sono, segundo o manual de classificação de doenças mentais (DSM.IV).

Nesses casos o nível de ansiedade é desproporcional aos acontecimentos gerados do transtorno, causando sofrimento e interferindo em diversas instâncias da vida.

Síndrome do pânico

São crises repentinas de ansiedade aguda com medo e desespero juntas, associadas a sintomas físicos e emocionais aterrorizantes, atingindo seu máximo em apenas 10 minutos. Acontecem de forma repentina e inesperada, assim criando tensão e ansiedade de forma antecipada, propiciando o desenvolvimento de outras fobias.

A agorafobia é a mais comum, sendo pelo temor de encontrar-se em espaços abertos ou fechados com muita gente. Os sintomas são: medo de morrer, sensação de falta de ar e de sufocamento, asfixia, sudorese, tontura, ondas de calor e formigamentos, náusea e desconforto abdominal, dentre outros.

Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

A principal característica do TOC é a presença de crises recorrentes de compulsões e obsessões. Estima-se que 4 milhões de brasileiros tenham esse transtorno.

Obsessões são pensamentos, ideias e imagens que invadem a pessoa insistentemente, sem que ela queira e consiga controlar. Para se livrar desses pensamentos, a pessoa costuma realizar o ritual próprio da compulsão. Os rituais tendem a ser de limpeza, checagem ou conferencia, organização, contagem e variam conforme o tempo.

Café com informação

Usando toda essa conectividade a favor de passar uma informação útil e de relevância para a população, está acontecendo a quebra de tabus de preconceitos antigos e de adquirir mais conhecimento sobre problemas, sintomas físicos e emocionais.

Para promover essas informações, Karini Callegari junto com Karla Fernanda da Silva, também psicóloga, criaram o Café com Psicologia, realizado uma vez por mês e com um tema pré-escolhido. Fazendo sua inscrição, qualquer um que queira tirar dúvidas pode ir, não somente os pacientes. “O Café é uma extensão da proposta do Instagram, de uma forma mais profunda e mais acessível para conscientizar a nossa sociedade. De uma forma leve, com proposta de comidas e mimos conseguimos uma roda de conversa mais íntima possibilitando mais resultados nas dinâmicas e aplicações de testes”, resume Karini.

Encontro do Café com Psicologia, em Lins-SP.

Texto por Guilherme Moreira, estudante do 4º semestre de Jornalismo.

Fotos: Danilo Cruz

Imagem de destaque: Luís Pellegrini ( https://www.brasil247.com/oasis/ansiedade-fobia-estresse-dicas-para-combater-os-males-do-seculo)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close