O fim de uma saga

Star Wars: A Ascensão Skywalker encerra a franquia e pretende colocar um ponto final na
história que começou há mais de 40 anos

Por Carol Oliveira 

Dezembro de 2019 não foi apenas o mês mais esperado por causa das férias, do Natal e da tradicional música da Rede Globo, mas para os fãs de Star Wars foi o momento de se despedir de uma história que já é contada desde 1977, quando o primeiro filme da franquia estreou nos cinemas. Com o título de Star Wars — Uma nova esperança, George Lucas, diretor e roteirista norte-americano, iniciava uma saga que se tornaria um dos maiores pilares da cultura pop. Mas para iniciarmos essa viagem pelo mundo de Guerra nas Estrelas, como ficou conhecido no Brasil, começaremos com a cronologia correta dos filmes e uma breve resenha sobre cada episódio.

Imagem: Capa – Star Wars Episódio I

Trilogia Prelúdio
Episódio I — A ameaça fantasma (Star Wars: Episode I — The Phantom Menace)

Sinopse: Lançado em maio de 1999, este é o quarto filme da saga, apesar de ter sido lançado apenas 16 anos depois do último filme da série a ser exibido nos cinemas, Star Wars Episódio VI: O Retorno de Jedi, em 1983. Sendo o primeiro filme da trilogia prelúdio, ele arrecadou cerca de 431 milhões de dólares em solo norte-americano, que foi a terceira maior arrecadação da história na época. Escrito e dirigido por George Lucas, conta a história do Jedi Qui-Gon Jinn (Liam Neeson) e seu então aprendiz, Obi-Wan Kenobi (Ewan McGregor), que são incumbidos da missão de retirar a rainha Padmé Amidala (Natalie Portman) de seu planeta, Naboo. O local é invadido pelas tropas da Federação do Comércio, aliadas aos Sith — guerreiros do lado sombrio da Força. Na volta, a nave em que estavam passa por problemas e eles pousam em Tatooine, onde Qui-Gon sente um “forte distúrbio na Força”. Culpa de Anakin Skywalker (Jake Lloyd), um garoto escravo e piloto de naves em corridas no local. Eles resgatam o menino, que deixa a mãe para trás, com o intuito de treiná-lo para ser um Jedi. A dupla retorna a Naboo para combater a Federação, porém Qui-Gon é morto pelo Sith Darth Maul. Obi-Wan, então, assume a responsabilidade de ser o tutor do jovem de Tatooine.

Imagem: Capa Star Wars Episódio II

Episódio II — Ataque dos Clones ( Star Wars: Episode II — Attack of the Clones)
Sinopse: Quinto filme da franquia, e na ordem cronológica, o segundo da trilogia prelúdio, teve sua estreia em julho de 2002 arrecadando 650 milhões de dólares ao redor do mundo, mas sendo a menor arrecadação mundial da série.
Uma década após a morte de Qui-Gon, a galáxia está em vias de entrar em uma guerra civil causada pelo Conde Dooku (Christopher Lee), líder dos separatistas. Padmé Amidala, que detém uma cadeira no senado, sofre diversas tentativas de assassinato e Anakin Skywalker (agora vivido por Hayden Christensen) recebe a missão de protegê-la. Paralelamente, Obi Wan investiga a motivação dos separatistas e descobre uma fábrica que produz secretamente um exército de clones — futuramente, os stormtroopers. Anakin sente que sua mãe está em perigo e retorna a Tatooine para resgatá-la, porém, é tarde demais. Ele vinga a progenitora e mata um povoado inteiro, dando espaço ao lado sombrio da Força pela primeira vez. Anakin e Padmé vão ao encontro de Obi-Wan para ajudá-lo, mas eles são capturados, juntamente com outros Jedis. Começam então as Guerras Clônicas.

Imagem: Capa Star Wars Episódio III

Episódio III — A Vingança dos Sith (Star Wars: Episode III — Revenge of the Sith)
Sinopse: Sexto filme da franquia e último filme dessa trilogia, estreou em maio de 2005, quebrando vários recordes de bilheteria em sua semana de estréia, e continuou a ganhar mais de 800 milhões de dólares no mundo todo, fazendo com que fosse um dos filmes mais lucrativos de 2005. Anakin e Padmé se casam em segredo enquanto a República e a Confederação estão em guerra. Os Jedis se escondem, dispersos pela galáxia. Obi-Wan vai ao planeta de Utapau para lutar contra o general Grievous (voz de Matthew Wood), comandante dos separatistas, enquanto Anakin se aproxima do chanceler Palpatine (Ian McDiarmid), que na verdade é o Sith Darth Sidious. Quando sente que Padmé está em perigo, Anakin cede ao lado sombrio da Força, com a promessa de ter poder ilimitado. É o primeiro passo para se tornar Darth Vader. A República é destruída, Jedis são mortos — sobrevivem apenas Yoda e Obi-Wan. Padmé morre, mas antes dá a luz aos filhos de Anakin: Leia e Luke Skywalker.

Imagem: Capa Star Wars Episódio IV

Trilogia Clássica
Episódio IV — Uma nova esperança ( Star Wars: Episode IV — A New Hope)

Sinopse: foi o primeiro filme da série a ser lançado, em 1977, mas o quarto, na ordem cronológica. Foi a maior bilheteria daquele ano, arrecadando mais de 775 milhões de dólares. A produção, que possui a 56ª maior bilheteria da história, é a segunda maior bilheteria do cinema nos EUA e Canadá, e é
a terceira maior bilheteria no mundo a partir de 2013. Entre os muitos prêmios que o filme recebeu, ganhou dez nomeações ao Oscar, vencendo seis; as indicações incluíram Melhor Ator Coadjuvante para Alec Guinness, Melhor Roteiro original e Melhor Filme. Dezenove anos depois de o Império ter assumido o controle da galáxia, Darth Vader captura princesa Leia Organa (Carrie Fisher), acusada de ser membro da Aliança Rebelde. Antes de partir, ela grava um pedido de socorro para Obi-Wan (Alec Guinness), e envia a mensagem através dos robôs R2-D2 e C-3PO. Eles vão a Tatooine e são encontrados por Luke Skywalker (Mark Hamill), que os leva à montanha onde vive Kenobi. O Jedi vai com Luke e os robôs atrás da princesa.


Para partir de Tatooine, no entanto, eles precisam de um meio de transporte e encontram em Han Solo (Harrison Ford) e Chewbacca (Peter Mayhew) os parceiros quase ideias. Luke se junta aos rebeldes, que explodem a arma de destruição em massa Estrela da Morte, enquanto Obi-Wan é morto por seu antigo discípulo, Darth Vader. A história do Episódio IV se passa 19 anos, após os eventos ocorridos em Star Wars Episódio III: A Vingança dos Sith.

Imagem: Capa Star Wars Episódio V

Episódio V — O Império contra-ataca (Star Wars: Episode V — The Empire Strikes Back)
Sinopse: é o segundo filme e quinto capítulo da série de filmes de George Lucas. Originalmente lançado em 21 de Maio de 1980, e apesar de ser o mais popular entre os fãs e críticos, ele só só faturou 290 milhões de dólares nos Estados Unidos e é o filme que menos lucrou na série, atrás apenas de Star Wars Episódio VI: O Retorno de Jedi.
Herói da Aliança Rebelde, Luke Skywalker recebe uma mensagem do além de Obi-Wan. O velho Jedi sugere que ele vá a Dagobah, um planeta de terreno pantanoso que serve de esconderijo para Yoda (voz de Frank Oz). Ao lado de R2-D2, Luke vai ao encontro do novo mestre, enquanto Han, Leia,
Chewbacca e C-3PO embarcam na Millenium Falcon para buscar a ajuda de Lando Calrissian (Billy Dee Williams) no planeta Bespin. Porém, Darth Vader os espera no local. O malvadão usa o grupo como isca para atrair Luke. A tática funciona e o quase-Jedi vai ao local encarar o mascarado. É neste episódio que Darth Vader profere para Luke uma das frases mais famosas do cinema: “Eu sou seu pai”.

Imagem: Capa Star Wars Episódio VI

Episódio VI — O Retorno de Jedi (Star Wars: Episode VI — Return of the Jedi)
Sinopse: é o terceiro capítulo da trilogia que deu origem ao sucesso de Star Wars e o sexto na série em geral de filmes de George Lucas. É um filme americano de 1983, uma ópera espacial épica dirigida por Richard Marquand e escrita por George Lucas e Lawrence Kasdan, com Lucas como produtor
executivo. Originalmente lançado em 6 de Outubro de 1983 no Brasil, foi relançado em 1997 e em 2004.
Luke resgata Han Solo, que foi congelado, e Leia, que se tornou escrava. Ambos estão sob o poder de Jabba, o Hutt. Em seguida, Luke retorna a Dagobah para pedir conselhos a Yoda, que confirma a veracidade da revelação de Darth Vader e ainda conta que Leia é irmã do rapaz. Luke, então, vai até a construção da segunda Estrela da Morte para encontrar seu pai, na esperança de que possa encontrar bondade embaixo do figurino preto. Han Solo, Chewbacca, Leia e os robôs destroem o escudo que protegia e estação espacial, permitindo que Lando, no comando da Millenium Falcon, destrua a nova Estrela da Morte.
Antes de morrer, Darth Vader mata Sidious e retira a máscara para se redimir com o filho.

Imagem: Capa Star Wars Episódio VII

Nova Trilogia
Episódio VII— O Despertar da Força (Star Wars: Episode VII — The Force Awakens)

Sinopse: é o sétimo filme da franquia e foi dirigido por J. J. Abrams. George Lucas começou a trabalhar na história em 2011, com o intuito de aumentar o valor das ações da Lucasfilm Ltd. antes que ela fosse vendida para a The Walt
Disney Company, porém, mais tarde a diretoria da Disney declarou que não usaria a história de Lucas. A aquisição foi fundamentada no dia 30 de Outubro de 2012, com a Disney e Lucasfilm anunciando o Episódio VII no mesmo dia.
Faturou, na época, mais de 2 bilhões de dólares. Décadas após a queda de Darth Vader e do Império, surge uma nova ameaça: a Primeira Ordem, uma organização sombria que busca minar o poder da República e que tem Kylo Ren (Adam Driver), o General Hux (Domhnall Gleeson) e o Líder Supremo Snoke (Andy Serkis) como principais expoentes.
Eles conseguem capturar Poe Dameron (Oscar Isaac), um dos principais pilotos da Resistência, que antes de ser preso envia através do pequeno robô BB-8 o mapa de onde vive o mitológico Luke Skywalker (Mark Hamill). Ao fugir pelo deserto, BB-8 encontra a jovem Rey (Daisy Ridley), que vive sozinha catando destroços de naves antigas. Paralelamente, Poe recebe a ajuda de Finn (John Boyega), um stormtrooper que decide abandonar o posto repentinamente. Juntos, eles escapam do domínio da Primeira Ordem.

Imagem: Capa Star Wars Episódio VIII

Episódio VIII— Os últimos Jedi (Star Wars: The Last Jedi)
Sinopse: é o oitavo filme da franquia, mas apesar do sucesso do filme anterior que foi dirigido por J. J. Abrams, este foi escrito e dirigido por Rian Johnson e produzido por Kathleen Kennedy e Ram Bergman. Após encontrar o mítico e recluso Luke Skywalker (Mark Hammil) em uma ilha isolada, a jovem Rey (Daisy Ridley) busca entender o balanço da Força a partir
dos ensinamentos do mestre jedi. Paralelamente, o Primeiro Império de Kylo Ren (Adam Driver) se reorganiza para enfrentar a Aliança Rebelde.

E chegamos ao tão esperado filme que encerra a saga:

Imagem: Capa Star Wars Episódio IX

Episódio IX — A Ascensão Skywalker (Star Wars: The Rise of Skywalker)
Sinopse: Lucasfilm e o diretor J.J. Abrams juntam forças mais uma vez para levar os espectadores a uma jornada épica em uma galáxia muito, muito distante em Star Wars: A Ascensão Skywalker, a fascinante conclusão da saga Skywalker, na qual novas lendas nascerão e a batalha final pela liberdade ainda está por vir.
Com estreia marcada para o dia 19 de Dezembro, o filme pretende encerrar uma história que já é contada há mais de 40 anos, mas que possui muitas pontas soltas e detalhes a serem explorados. Apesar de se tratar de uma nova trilogia, repaginada e mais fluída, o nono filme da franquia carrega o peso de resolver questões do passado e futuro em apenas 155 minutos de duração.
Quando o primeiro trailer foi lançado, no dia 21 de Outubro, em homenagem ao aniversário da atriz Carrie Fisher, que foi eternizada no papel da Princesa Leia Organa, e faleceu no dia 27 de dezembro de 2018, muito se especulou sobre o rumo da história.

O título do filme: afinal, haverá novos Jedis?

Imagem: Título – Star Wars The Rise of Skywalker

Para começar, vamos ao título, que remete à família Skywalker. No filme anterior, Luke é o último Jedi e mesmo se tornando mentor da Rey, ela não poderia carregar o sobrenome do personagem, logo especula-se que o nome do filme tenha relação com o personagem Kylo Ren, que na verdade se chama Ben Solo (filho de Leia Organa e Han Solo, e sobrinho de Luke Skywalker), pois ele encontraria a redenção e abandonaria o lado negro da força, dando sentido, portanto, a menção à família Skywalker.Porém, a General Organa também tem papel fundamental na linhagem Skywalker, e apesar de não ser uma Jedi, já foi vista em algumas cenas usando o sabre de luz, e por ter falecido antes do encerramento das gravações, o diretor talvez use essa ligação para dar aos fãs o final que todos esperam de sua personagem devido à sua importância na trama.

J.J. Abrans explica que, apesar da atriz ter falecido antes do lançamento do segundo filme dessa nova trilogia, a produção tinha material que não foi usado e que poderia ser transformado como um quebra-cabeças para dar continuidade e um final digno para a General Leia Organa “ “Foi um estranho milagre ver que haviam algumas cenas não-utilizadas de O Despertar da Força e perceber que talvez houvesse uma forma de continuar a sua história com ela, sinto que há um elemento misterioso, espiritual, clássico da Carrie, que fez as coisas acontecerem desta maneira, porque de algum jeito, funcionou. E eu nunca pensei que funcionaria”.

Um dos momentos mais marcantes de sua personagem nesta nova trilogia foi quando ela pressentiu a morte de seu ex-companheiro, Han Solo, no episódio VII e também quando seu irmão se despediu dela no episódio VIII com a seguinte frase “Ninguém se vai totalmente”.

Imagem: um dos momentos mais emocionantes do Episódio IX, quando Leia abraça a personagem Rey

Kylo Ren: o vilão irá se render?

Imagem: Kylo Ren

Leia Organa é mãe de Ben Solo, ou como é chamado agora, Kylo Ren, que após ter traído a confiança de seu tio no episódio VII, unindo-se contra a ordem dos Jedi e criando seu próprio clã batizado de “Os Cavaleiros de Ren”, deixou um rastro de destruição e sofrimento após descobrir que Rey também possuía a força muito presente, tornando-se sua principal inimiga.
Após matar o próprio pai, Han Solo, em uma cena com muitas referências ao clássico momento no qual Darth Vader (seu avô) revela a Luke Skywalker que é seu pai, Kylo Ren tenta honrar o legado das trevas e quem sabe ultrapassar seu avô no quesito maldade. Neste último episódio ele voltará a usar o capacete que ele mesmo destruiu após ser humilhado pelo Supremo Líder Snoke.
O trailer deixou os fãs um tanto quanto confusos em relação ao lado que Kylo Ren pertencerá ao final da saga, pois em alguns momentos ele aparece numa batalha contra Rey e em outros aparece ajudando-a a destruir símbolos do lado negro da força. Essa é uma questão que pontuará todo o resto da trama, pois há outro vilão já conhecido dos fãs voltando a ativa: Palpatine.

Palpatine: o retorno do vilão

Em entrevista, a presidente da Lucasfilm, Kathleen Kennedy diz que isso já estava nos planos “Ainda não tínhamos decidido sobre como poderíamos fazer isso, mas o plano sempre foi o personagem estar no Episódio IX”. No filme A Vingança dos Sith, Palpatine (interpretado pelo ator Ian McDiarmid) conta ao jovem Anakin (que era seu aprendiz) que é possível enganar a morte e evitar o falecimento de outras pessoas (detalhe este que era conhecido apenas pelo lado dos Jedi, mas que não permitia qualquer interferência na vida dos vivos), então acredita-se que essa seja a maneira que Palpatine vai usar para voltar para a história.

Rey: uma nova geração de Jedis?

Imagem: Rey

E se há vilões, é preciso haver mocinhos, e no caso, uma mocinha que ganhou o coração dos fãs. Rey, que era uma catadora de sucata nativa de Jakku no episódio VII, cresceu e morou sozinha no deserto enquanto esperava sua família retornar, mas isso nunca aconteceu e um dia ela se depara com um pequeno droide chamado BB-8, que carrega o mapa para encontrar o lendário Luke Skywalker. Ela o ajuda sem saber exatamente o porquê, e acaba conhecendo Finn, desertor e ex-stormtropper, que está fugindo da Primeira Ordem. Os três acabam embarcando a bordo da Millenium Falcon (famosa nave do personagem Han Solo), e vão ao encontro da Resistência para entregar o mapa a General Leia Organa, mas no caminho ela tem seu primeiro contato com um sabre de luz, especificamente, o de Luke Skywalker e sente o despertar da força pela primeira vez.

Rey ganhou papel de destaque não somente por ser uma protagonista mulher, pois no universo Star Wars isso já era comum desde os primeiros filmes, mas por trazer um tom cômico e uma força destemida nas batalhas, mostrando que quando se tem um objetivo não há nada que te impeça de vencer.

Ela usou, antes mesmo de saber que tinha a Força muito presente em si, poderes como Persuasão pela Força e a Telecinese, e enfrentou Kylo Ren pela primeira vez apenas resistindo às suas tentativas de controle da mente. Em Ascensão Skywalker há rumores de que ela possa reunir uma nova ordem de cavaleiros e seja a líder deles, porém em algumas cenas do trailer oficial é possível ver que ela segura um sabre de luz vermelho (símbolo do lado negro da força), o que deixa em aberto seu futuro na trama.

Em entrevista com a Total Film, Daisy Ridley comentou sobre o assunto por ter sido apelidada de “Darth Rey” pelos fãs “Eu já tinha uma história bem emocional [com a Rey], mas depois que eu
li sobre [a “Darth Rey”], percebi que isso era incrível. É divertido fazer algo meio diferente. Toda a franquia Star Wars é sobre o bem e o mal. Todos os personagens lutam com isso. Então não será surpreendente, pois é algo muito humano ver alguém dividido entre dois lados. Se você entende o motivo da jornada de alguém, você vai acompanhá-la apesar de tudo. Então os fãs vão ficar chocados de uma maneira divertida, mas também terão uma ligação emocional com ela”.

Algo que os fãs estão esperando ansiosamente é descobrir de onde ela vem, e porque a força é tão presente nela, e sobre isso o diretor diz que “ “há mais nessa história do que o que vocês já viram”, sem dar nenhum detalhe sobre a história de sua família ou mesmo sobre sua origem e ligação com Kylo Ren.

Finn e Poe, a dupla que irá lutar bravamente contra a Primeira Ordem

Imagem: Finn e Poe numa das cenas do episódio IX

Os dois personagens que conquistaram o público pelo teor de suas falas bem sacadas e o humor característico dos protagonistas da saga, agora se unem para trazer novos aliados para a Resistência.
Um fato curioso sobre o ator John Boyega, que interpreta Finn, é que ele perdeu o roteiro de Star Wars: A Ascensão Skywalker, e quando se deu conta já estava sendo vendido no eBay, mas a Disney foi mais rápida e comprou o roteiro antes que ele vazasse. Já sobre Poe, os fãs podem esperar novas informações sobre o passado do mais novo líder da Resistência, pois até então nada foi dito sobre a história dele. Em entrevista à Vanity Fair, o ator Oscar Isaac afirmou que “os fãs se surpreenderão ao saber que as coisas são mais ambíguas do que se imaginava” e isso se deve ao fato da inclusão de uma nova personagem na trama, Zorri Bliss, que parece ser “uma velha conhecida” de Poe, e será interpretada pela atriz Keri Russell, e segundo informações preliminares sobre o filme ela é uma “criminosa misteriosa”.

E o que os fãs esperam?

Gustavo Mathias, de 24 anos, conta que virou fã de Star Wars por influência da família que assistia os filmes desde o começo, mas que seu contato profundo com a história da saga só aconteceu quando foram lançados os jogos para Playstation. Ele diz também que espera que os personagens principais tenham finais satisfatórios e que a volta do Palpatine seja aprofundada, e que apesar do filme ainda não ter sido lançado, o sentimento de encerramento já existe “Eu acompanhei essa trilogia, só espero
que o final seja digno de Star Wars e que seja emocionante pra nós, que sirva como um abraço nos fãs dizendo Hey, acabou, mas tá tudo bem”.

Já a fã Evellyn Lopes, de 17 anos, se tornou fã quando assistiu pela primeira vez com seu irmão, e realmente espera que a Disney e a Lucasfilm priorizem um final digno para todos ao invés de um final focado apenas no sucesso de bilheteria “Espero que eles mantenham o padrão de surpreender os fãs e nos deixem boquiabertos”.

Meu sentimento é o mesmo de todos os fãs

A opinião de todos os fãs, seja em comentários nas matérias ou grupos nas redes sociais, é a mesma: que o final seja digno da saga e que tenha coerência. Pois sabemos que franquias muito longas sofrem com o passar do tempo e acabam se perdendo na quantidade de informações e histórias paralelas, e com Star Wars não poderia ser diferente.

Uma história que perdura há mais de 4 décadas, que evoluiu junto com a tecnologia e conquistou fãs de todas as idades, merece ter um ponto final que faça chorar, não apenas de tristeza por ter chegado ao fim, mas de felicidade por termos tido a oportunidade de acompanhar algo tão grandioso e único no universo nerd. O filme estreia no dia 19 de dezembro, e até lá desejo apenas uma coisa para todos os fãs:

“Que a força esteja com vocês”

Imagem: Rey segurando seu sabre de luz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close