Todas as Mulheres do Mundo – Maria Alice

Por Letícia Gonçalves, estudante de Jornalismo do UniToledo Araçatuba

Apaixonado: particípio passado do verbo apaixonar; tomado de grande paixão; entusiasmado; possuído de um grande amor.”

Todas as Mulheres do Mundo é uma das produções recém estreadas no serviço de streaming Globoplay, cuja série teve sua primeira temporada exibida no dia 23 de abril de 2020.  A obra homônima do filme Todas as Mulheres do Mundo, de 1966, dirigido por Domingos de Oliveira, inspirou Jorge Furtado a escrever uma versão em série de televisão.

A atração conta com Emílio Dantas, que vive o arquiteto Paulo, um homem poeta apaixonado por mulheres. A cada episódio, ele se apaixona perdidamente e sempre à primeira vista por uma mulher diferente, mesmo sendo apaixonado por Maria Alice, interpretada por Sophie Charlotte, e divide toda a angústia e o prazer do amor com seus dois melhores amigos: Laura (Martha Nowill) e Cabral (Matheus Nachtergaele).

Laura (Martha Nowill), Paulo (Emilio Dantas), Maria Alice (Sophie Charlotte), Cabral (Matheus Nachtergaele) e Oliveira (Flint) no colo de Paulo. // Reprodução Gshow- Globo

Cabral : Filósofo, poeta, romântico e sonhador. Tem um só grande amor da vida, Glorinha, que, apesar de ter vivido um romance com ele, agora é casada e vive em Amsterdã. Ah, ele tem um cãozinho chamado Oliveira, importante na narrativa, já que ele representa o início de Maria Alice e Paulo.

A Laura eu apresento depois.

E o Oliveira (Flint), o marco inicial do romance dos protagonistas (os principais, visto que a cada episódio há uma mulher protagonista diferente). Paulo, na tentativa de mostrar sua paixão para Maria Alice, tenta presenteá–la com o cachorrinho.

Cada episódio leva o nome da mulher protagonista, o novo romance de Paulo. A trilha-sonora ficou por conta de Marisa Monte e é cantada por diferentes vozes da boa música brasileira. A canção Carinhoso, de Marisa, é apresentada nas vozes de Alcione, Rita Lee, Elis Regina, Cassia Eller, Céu, Ana Canãs, Agnes Nunes, Nara Leão, Elza Soares e Maria Bethania, entre outras convidadas.

As mulheres protagonistas, Lilian Cabral como a mãe de Paulo e Paulo (Emilio Dantas)

Ao decorrer da série, Paulo tem onze paixões e um grande amor. São elas: Adriana, Elisa, Martinha, Laura, Renata, Pâmela, Gilda, Sara, Natália, Pink e o grande e primeiro amor da vida dele, Maria Alice – que no longa dos anos 60 foi interpretada por Leila Diniz.

“A vida é feita de muitas paixões”

Já no primeiro capítulo, o arquiteto se apaixona à primeira vista por Maria Alice, que mais tarde descobrimos ser seu grande amor. Contudo, o relacionamento não se prolonga muito e Paulo vive outras paixões repentinas, intensas e algumas ligeiramente rápidas. O personagem se aventura em cada relação, aprende sobre cada mulher e conhece os universos femininos mostrados na produção. Paulo não vive um episódio sem paixão, tampouco sem as mulheres…é como disse Cabral em uma de suas frases de efeito: “As mulheres sempre foram a melhor coisa do mundo”

Duas grandes Mulheres

Eu não vim aqui pra discorrer sobre Paulo e seu desenvolvimento. Muito menos sobre cada mulher que ele tenha se relacionado. Meu gancho aqui é a paixão.

Bailarina e professora de Balé, Maria Alice encantou os olhos do protagonista no primeiro segundo em que apareceu com seus olhos brilhantes e sorriso simpático. Mas, se Paulo era apaixonado por Maria Alice e como eu disse anteriormente, o amor de sua vida, por que então o relacionamento não dura?

“O amor é uma coisa muito delicada” – Adriana, episódio 2. 15:11

Apesar das reviravoltas engraçadas que o mundo dá, não só na nossa vida, mas também na série, eu entendi que Paulo é urgente de paixão e quando ela ‘esfria’ acaba por não ser suficiente para fazer sua relação com Maria Alice dar certo, isso no início e no final da série – que deixou o gancho em aberto para o futuro dos dois amantes.

Entre os amores repentinos e loucos do protagonista, dois me chamaram a atenção. Laura, sua melhor amiga e Maria Alice, claro.

Laura, a melhor amiga de Paulo e Cabral, é uma Produtora Cultural que decide que quer ser mãe antes dos 40 e sai na busca difícil de encontrar um pai para a criança. Acaba se relacionando romanticamente com o arquiteto no quarto capítulo e percebe que ele ainda vive na esperança da volta de Maria Alice.

A produtora é autentica, forte e livre. O modo como Laura vê a vida e é convicta de suas crenças e valores me chama a atenção, além da sua lealdade com os amigos. Com ela, a vida poderia ser um eterno festejar com um leve toque de responsabilidade. “Só um idiota não sabe que a festa é o fim da festa”.

Maria Alice (Sophie Charlotte)

Maria Alice é bailarina e vive um intenso romance com Paulo, mas inicialmente não dá certo. Decide estudar balé na Alemanha e mantém contato com ele por vídeos, já que ficaram amigos. A protagonista é deslumbrante e apaixonante na fração em que aparece na abertura de seu episódio. O enrolado dos cabelos, o brilho no olhar e o sorriso aconchegante atingiram Paulo de primeira e assim foi, apesar dos caminhos que suas vidas trilharam na série, até o final dela.

“Ela é apaixonante, você não acha?”

No final, o aspirante a escritor e amante da boa e melancólica paixão escreve uma peça de teatro sobre seu amor e de Maria Alice. Eu não disse muito sobre a história dos dois, afinal, eu tentei escrever sobre a paixão e o quão imprevisível a vida é quando se trata de sentimentos, por isso espalhei algumas falas pela matéria.

“A vida não é como a gente inventa. Ponto” – Maria Alice, episódio 1. 14:57

A poesia, a arte, as reflexões filosóficas e até as que fazemos sobre Paulo compõem essa produção embargada do universo da dramaturgia que resgata a memória e homenageia Domingos de Oliveira. Isso sem falar das músicas que compõem a obra. As canções entram em harmonia com o enredo de cada capítulo.

Dolores – Agnes Nunes e Xamã

Assim como disse o roteirista em uma entrevista para o site O Tempo, “a série é um respiro de felicidade”.

Paixão: Sentimento intenso que possui a capacidade de alterar o comportamento, o pensamento; amor, ódio ou desejo demonstrado de maneira extrema. Atração muito viva que se sente por alguma coisa.

 “Eu não sei viver sem paixão” – Maria Alice episódio 1. 24:01

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close